Wana Química

Lanxess aumenta capacidade de produção de pigmentos de óxido de ferro

17/04/2017 - 13:04

A Lanxess, empresa de especialidades químicas, está expandindo a capacidade de sua rede de produção global, a fim de garantir o abastecimento a longo prazo de seus clientes. Em Krefeld-Uerdingen, onde se localiza a maior unidade produtora de pigmentos de óxido de ferro sintético do mundo, a capacidade de produção de pigmentos vermelhos e pretos aumentará gradualmente em cerca de 23 mil toneladas até 2019, além das atuais 280 mil toneladas. Além disso, por meio da modernização dos processos, a Lanxess também expandirá sua capacidade de produção de pigmentos amarelos em mais 2 mil toneladas por ano, na unidade em Porto Feliz, Brasil.

Recentemente, a Lanxess já expandiu sua rede global de produção ao iniciar as operações de sua instalação em Ningbo, na China. Essa instalação de produção de síntese, que iniciou suas operações no primeiro trimestre de 2016, é projetada para uma capacidade anual de 25 mil toneladas de pigmentos vermelhos. Ao tomar essas medidas, a Lanxess aumentará sua capacidade de produção global de pigmentos de óxido de ferro de 375 mil para 400 mil toneladas em 2019.

Bem posicionada para atender à crescente demanda

“O objetivo desses investimentos é apoiar o crescimento de nossos clientes”, diz Joerg Hellwig, líder da unidade de negócios Pigmentos Inorgânicos (IPG). Como líder mundial no mercado de pigmentos de óxido de ferro e um dos principais fornecedores de pigmentos de óxido de cromo, a Lanxess avalia continuamente o desenvolvimento global do mercado de pigmentos. A expectativa da empresa para a demanda mundial de pigmentos de óxido de ferro é uma média de crescimento de 3% ao ano, a partir de 2018. A demanda de pigmentos de óxido de ferro aumentará de forma significativa devido ao forte crescimento em países como a Índia e também pela contínua recuperação do setor de construção na América do Norte e em algumas regiões da Europa. A China também contribuirá para esse desenvolvimento com elevados índices de crescimento.

Representando um quarto do total do consumo mundial, tintas e revestimentos são o segundo maior segmento de aplicação de pigmentos de óxido de ferro sintético e a tendência é uma de ascensão. “Nossa expectativa é que em 2025, o crescimento anual da demanda global por óxido de ferro alcance uma média de 4%. Internamente acreditamos no aumento da demanda por pigmentos de alta qualidade e com os padrões uniformes globais”, comenta Hellwig.

Contínua consolidação do segmento chinês de pigmentos

Embora a China seja sem dúvida o maior produtor de óxido de ferro sintético, com mais de 50% do fornecimento mundial, o número de instalações de produção de pigmentos de óxido de ferro sintético diminuiu de maneira contínua ao longo de vários anos. Isto é o resultado de uma implementação consistente de normas ambientais, tanto pelos fabricantes de pigmentos quanto pelo setor de processamento desses pigmentos. O número de instalações de produção caiu pela metade desde 2008, resultando em uma redução do fornecimento, principalmente no segmento de pigmentos vermelhos. Segundo a Lanxess, é provável que este processo de consolidação continue.

Normas globais de padronização de produção são bases que integram à imagem da Lanxess. Esses processos de produção sempre foram projetados para serem seguros, para conservar recursos e para preservar o meio ambiente, e eles estão sujeitos a melhorias contínuas. O foco consistente da empresa em processos de produção sustentáveis tem proporcionado ganhos na China.

Para garantir um fornecimento sustentável e estável de pigmentos vermelhos de óxido de ferro para os clientes, a Lanxess investiu recentemente na construção de uma nova unidade de produção em Ningbo, China. A planta utiliza um novo processo de produção chamado Ningbo Process, que é baseado em tecnologia desenvolvida e patenteada pela Lanxess. O desenvolvimento e implantação desta tecnologia permite, pela primeira vez, a produção ecológica de pigmentos vermelhos com tons amarelados e cumpre os elevados padrões ambientais chineses, percorreu uma intensa fase de desenvolvimento. “Diante de nossas expectativas de alta qualidade e de acordo com nossas próprias altas exigências no que diz respeito à produção sustentável, temos realizado extensivos testes desde 2016. Esta fase experimental já está praticamente concluída”, diz Hellwig.

Estes dois novos produtos e todo o portfólio da Lanxess marcaram presença na ECS 2017, com sua equipe de especialistas globais. No evento, a empresa apresentou seu extenso portfólio de produtos para o segmento de tintas e revestimentos, incluindo a linha de corantes, biocidas e benzilo.

  Mais notícias

OCQ Covestro langguth Abrafati