Wana Química

Déficit em produtos químicos soma US$ 5,0 bilhões e avança 3,1o primeiro trimestre

04/05/2017 - 19:05

O déficit acumulado da balança comercial de produtos químicos atingiu US$ 5,0 bilhões no primeiro trimestre do ano. O valor representa um aumento de 3,1% em relação ao mesmo período de 2016. Nos últimos 12 meses (abril de 2016 a março de 2017), o indicador totaliza US$ 22,2 bilhões, 0,7% acima do déficit de US$ 22,0 bilhões verificado no consolidado do ano passado.

Nos três primeiros meses deste ano, as importações de produtos químicos foram de US$ 8,3 bilhões, uma elevação de 7,3% em relação ao mesmo período de 2016. Já as exportações, de US$ 3,3 bilhões, apresentaram acréscimo de 14,2% na mesma comparação.

No contexto de forte elevação, de 46,5% em valor e de 66,5% em volume, os intermediários para fertilizantes foram o principal item da pauta de importação brasileira de produtos químicos, com compras de US$ 1,6 bilhão e de 6,9 milhões de toneladas no primeiro trimestre deste ano, ao passo que as resinas termoplásticas, com vendas externas de US$ 612,7 milhões no período, foram o grupo mais exportado (aumento de 8,1% em relação aos primeiros três meses de 2016).

Em termos de volumes, as importações de produtos químicos, de 10,8 milhões de toneladas, entre janeiro e março, apontaram um aumento de expressivos 37,7% (especialmente puxado pelos intermediários para fertilizantes), o que representa um novo recorde histórico para o indicador no período, ao passo que as exportações foram de 4,2 milhões de toneladas, elevação de 0,8% em relação ao primeiro trimestre de 2016. Apesar disso, a perspectiva é de que o déficit seja estável no transcurso do ano (entre US$ 22 bilhões e US$ 24 bilhões) pelo fato de os preços médios de importados continuarem em baixa de mais de 30% em relação àqueles verificados nos últimos anos.

Em março, as compras externas de produtos químicos chegaram a US$ 3,0 bilhões, um aumento de 18,3% em relação a fevereiro. As exportações, de US$ 1,2 bilhão, registraram, por sua vez, elevação de 22,9% em igual comparação. Em relação a março de 2016, foram registrados aumentos de 9,1% das importações e de 14,6% das exportações.

“Os resultados da balança comercial de produtos químicos no primeiro trimestre deste ano são particularmente preocupantes, pois, enquanto se observa uma lenta e gradual recuperação da atividade industrial brasileira, as quantidades importadas de produtos químicos já são as mais altas de toda a história para o período, superiores a 10,8 milhões de toneladas, tomando o espaço que poderia estar sendo ocupado pelo produto nacional nesse momento de recuperação econômica”, destaca a diretora de assuntos de comércio exterior da Abiquim, Denise Naranjo.

  Mais notícias

OCQ Covestro langguth Abrafati