Wana Química

Com apoio da AkzoNobel, avião Bandeirante é entregue em São José dos Campos

31/07/2017 - 17:07

O restaurado avião Bandeirante EMB-100, há 38 anos em exposição no Parque Santos Dumont, em São José dos Campos, retornou no dia 27 de julho ao seu lugar. Terceiro protótipo do avião pioneiro da Embraer, marco histórico da aviação brasileira, passou por uma revitalização geral e repintura, com a participação da AkzoNobel, para ser reapresentado aos joseenses no dia em que a cidade do interior paulista completa 250 anos.

Essa ação de recuperação integra um novo projeto da Prefeitura de São José dos Campos para revitalizar o Parque Santos Dumont. A iniciativa conta com o apoio da Invoz - Integrando Vozes para o futuro, entidade recém-criada com o intuito de fomentar a cultura aeronáutica no País e que se cercou de parceiros para a realização dessa ação. O processo de restauração e repintura contou com a colaboração de voluntários, funcionários e ex-funcionários da Embraer, além de alunos do Centro de Educação Profissional Hélio de Souza (CEPHAS). A aeronave foi restaurada em um hangar do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeronáutica (DCTA), com as tintas e primers doados ao grupo de voluntários pela AkzoNobel, que também ofereceu apoio técnico na repintura do avião.

“Temos orgulho em fazer parte desse projeto, auxiliando na preservação da história da aeronáutica brasileira e, ao mesmo tempo, na manutenção de espaços urbanos mais agradáveis e humanos, como o Parque Santos Dumont, proporcionando aos visitantes e moradores da região a experiência única de observar de perto esse avião histórico revitalizado, com suas cores originais resguardadas por nossos produtos”, afirma Marcelo Fassina, gerente de vendas da AkzoNobel no segmento aeroespacial para a América do Sul.

A AkzoNobel foi pioneira e desenvolveu muitas das tecnologias de revestimento usadas na indústria aeroespacial moderna, tais como revestimentos à base de água, revestimento de base/ sistemas de revestimento transparente, revestimentos de baixos VOC (Componentes Orgânicos Voláteis, da sigla em inglês), revestimentos destacáveis, sistemas removíveis seletivamente e revestimentos com efeitos especiais, além de inovar em tecnologias livres de cromo. Sua produção foca em alternativas sustentáveis, de alto desempenho e econômicas, que são fáceis de usar. As linhas Alumigrip Base Coat e Clear Coat e Aerodur dão suporte a aeronaves das principais fabricantes e companhias aéreas ao redor do mundo.

Um pouco de história - O projeto do EMB-100 Bandeirante nasceu antes mesmo do inicio das operações da Embraer, em 1965, pelo Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento do Centro Técnico Aeroespacial (CTA). O primeiro voo oficial foi realizado em 1968, em São José dos Campos, sendo esse o primeiro modelo fabricado pela Embraer, fundada em 1969. Esse modelo de aeronave tinha aplicação tanto para uso civil e militar. Com capacidade entre 15 a 20 passageiros, teve 498 unidades comercializadas ao redor do mundo.

Esse terceiro protótipo do EMB-100, especificamente, foi utilizado, entre os anos 1970 e 1980, pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) no primeiro levantamento aerofotogramétrico da Amazônia, para mapeamento da região. Com o término de sua vida útil, foi doado pelo fundador e então presidente da Embraer, Ozires Silva, para o município. Após a restauração, o avião voltará a ser exposto no Parque Santos Dumont, localizado na região central de São José dos Campos e que ocupa uma área de 46.500 m².

  Mais notícias