Wana Química

Ingersoll Rand realiza seminário em Curitiba voltado ao cliente final

14/11/2017 - 15:11

A Ingersoll Rand, fornecedora de sistemas de ar, gás comprimido e serviços, ferramentas pneumáticas, movimentação de materiais e equipamentos de gestão de fluidos, realizou no dia 9 de novembro de 2017, no Mabu Curitiba Express, em Curitiba (PR), em parceria com o representante PNX, um seminário direcionado aos clientes e industriais da região.

O objetivo deste encontro foi dar a oportunidade para que os participantes presentes tirassem dúvidas com os engenheiros e especialistas em serviços e tecnologias de compressão de ar e discutissem soluções para tornar os sistemas de ar comprimido uma vantagem competitiva para a operação.

Foram abordados diversos temas, entre eles a questão sustentável da Eficiência Energética, a qualidade do ar comprimido, as vantagens da utilização de bombas de diafragma e FRL(Filtro/Regulador/Lubrificador) da ARO na gestão do ar comprimido, o processo de Aftermarket e de Peças, a importância das Auditorias de Sistemas, entre outros.

“O ar comprimido é a quarta utilidade na indústria e o recurso mais utilizado. É fundamental como a energia elétrica, a água e o gás. Quando bem dimensionado, pode minimizar custos energéticos e melhorar a qualidade do produto final. Conhecimento neste serviço é fator decisivo para o sucesso de uma operação”, explica Alexandre Jordão, gerente de desenvolvimento de negócios que cuida do portfólio de produtos de compressores da linha isenta de óleos para aplicações na indústria de processos da área de Tecnologias e Serviços de Compressão da Ingersoll Rand.

Ainda sobre a questão da eficiência energética, outros produtos, como as bombas de diafragma pneumáticas, por exemplo, podem fazer uma grande diferença de economia de energia da operação. “Por não necessitar de vedação, que é um ponto crítico para vazamento e contaminação do meio ambiente, a bomba garante que a perda de produto seja minimizada. Além disso, itens essenciais como os filtros reguladores permitem que a passagem do ar comprimido seja 20% maior em relação as soluções existentes no mercado”, explica Cristian Drewes, diretor de vendas da divisão de gerenciamento de fluidos da Ingersoll Rand para a América Latina.

Outro foco de muitos industriais, além da questão de economia energética, é atingir a qualidade máxima do produto final, com o consumo mínimo de recursos. “A sobrecarga na operação de compressores de ar e a combinação errada dos equipamentos podem acarretar perdas de 20% a 60% no consumo de energia elétrica”, destaca Alexandre. Por isso, reforça, “é importante entender quais as principais causas deste desperdício e tornar o sistema de ar comprimido um aliado da indústria”.

  Mais notícias