Wana Química

Covestro começa bem o ano de 2018

26/04/2018 - 14:04

Com um início de ano positivo, a fabricante de materiais Covestro mantém seu forte crescimento. Graças a demandas robustas e contínuas e à elevação dos preços, as vendas cresceram 5,4% para 3,8 bilhões de euros no primeiro trimestre. Os principais destaques nas vendas foram os segmentos de poliuretanos e policarbonatos. Os volumes principais mantiveram-se estáveis em comparação com o crescimento excepcional no trimestre do ano anterior. Atingindo 1,1 bilhão de euros, o EBITDA subiu 25,7% sobre o período do ano anterior. A receita líquida cresceu 37,6% para 644 milhões de euros. O fluxo de caixa operacional livre (FOCF) subiu 72,5% para 364 milhões de euros.

“Começamos bem o primeiro trimestre e estamos no caminho certo para o resto do ano”, afirma Markus Steilemann, Chief Commercial Officer (CCO) e futuro Chief Executive Officer (CEO) da Covestro. “Embora tenhamos mantido os volumes principais em alta, mais uma vez melhoramos significativamente todos os outros números centrais em comparação com os excelentes resultados do trimestre do ano anterior.”

Analisando o desempenho da Covestro, Steilemann acrescenta: “Continuamos a nos beneficiar da demanda crescente por soluções sustentáveis e materiais de qualidade superior. Agora continuaremos a concentrar nossos esforços especificamente em produtos com alta margem com propriedades excepcionais.”

Um exemplo recente ocorreu no município alemão de Markt Bibart, onde a Covestro iniciou a produção comercial de um material inovador em março deste ano. O composto termoplástico reforçado de fibra contínua (CFRTP) é extremamente leve e apresenta propriedades similares às dos metais. A demanda por materiais resistentes e leves está crescendo mundialmente, já que reduzem o consumo de energia em uma ampla gama de aplicações e contribuem para a preservação de recursos. A Covestro investiu alguns milhões de euros para expandir a capacidade de produção.

Além disso, a estratégia de digitalização da empresa abre novas possibilidades de negócios. A Covestro começou recentemente a colaborar com a gigante chinesa da internet Alibaba e agora oferece seus materiais na plataforma on-line Alibaba - a maior loja virtual business-to-business da China. No link covestrochina.1688.com, os produtos da Covestro estarão disponíveis com mais facilidade para os clientes nesse mercado.

Aumento nos lucros nos segmentos de poliuretanos e policarbonatos - margens elevadas mantidas no segmento de coatings, adesivos e especialidades

As vendas do segmento de poliuretanos subiram 7,1% para 1.950 milhões de euros no primeiro trimestre. Esse crescimento se deu, principalmente, à alta de preços em todas as regiões, que mais que compensou a queda de 1% nos volumes principais e ainda os efeitos negativos dos movimentos das taxas de câmbio. O EBITDA do segmento cresceu 36,1% para 637 milhões de euros. A elevação das margens teve efeito favorável.

O segmento de policarbonatos registrou crescimento nas vendas de 8,3% para 1.033 milhões de euros. A tendência positiva nos preços de venda alavancou as vendas, enquanto os movimentos das taxas de câmbio tiveram impacto negativo. Os volumes principais no segmento de policarbonatos subiram 2,7% em relação ao primeiro trimestre de 2017. Atingindo 303 milhões de euros, o EBITDA subiu 30,6% em relação ao ano anterior.

No segmento de coatings, adesivos e especialidades, as vendas caíram 7,1% ao ano para 592 milhões de euros no primeiro trimestre. A redução nas vendas se deu principalmente a efeitos de câmbio, assim como à queda de 1,3% nos volumes principais do segmento em relação ao forte trimestre do ano anterior. Como ocorreu nos outros segmentos, os preços de venda impactaram positivamente nas vendas. O EBITDA caiu 15,0% para 136 milhões de euros devido aos volumes de venda mais baixos, aos efeitos negativos do câmbio e à alta nos custos das matérias-primas. Mesmo assim, a margem de EBITDA manteve alta de 23%.

Recompra de ações: primeira etapa concluída

A primeira etapa do programa de recompra de ações, iniciado em meados do segundo semestre de 2017, foi recentemente concluída com sucesso. Até a presente data, aproximadamente 4,5 milhões de ações no valor total de 400 milhões de euros foram readquiridas, o equivalente a 2,2% do capital social. A próxima recompra será iniciada em breve, conforme o anúncio anterior de que a Covestro readquirirá suas próprias ações no valor de até 1,5 bilhão de euros ou até 10% do seu capital social.

Previsões para o ano fiscal de 2018 confirmadas

Com base no desempenho comercial no primeiro trimestre, a companhia confirmou suas previsões para o ano fiscal de 2018. Thomas Toepfer, Chief Financial Officer (CFO) da Covestro desde 1º de abril de 2018, explica: “Com base na grande demanda contínua e por meio de investimentos eficientes, nosso objetivo é gerar mais crescimento orgânico nos volumes. Ao mesmo tempo, nossa expectativa é de normalização dos preços em diversos grupos de produtos ao longo do ano. Em suma, esperamos continuar nessa trajetória de sucesso.”

Nos próximos anos, a Covestro pretende aumentar significativamente seus investimentos para continuar aproveitando de maneira excepcional as vantagens do crescimento esperado nas principais indústrias consumidoras. A expectativa é que esses investimentos incluam todos os segmentos e regiões e superem o nível de depreciação.

A companhia prevê um crescimento de um dígito no volume principal. A Covestro antecipa um fluxo de caixa operacional livre significativamente acima da média dos últimos três anos. Em 2018, a previsão é que o retorno sobre o capital empregado (ROCE) fique próximo do nível do ano anterior. Estima-se que o EBITDA se mantenha em patamar semelhante ao de 2017. A previsão da Covestro é de EBITDA acima do trimestre do ano anterior para o segundo trimestre de 2018.

  Mais notícias