Publicidade
Tronox

Killing premia estudante gaúcha com viagem à maior feira de tecnologia do México

10/06/2022 - 15:06

Vencedora do Prêmio Killing de Tecnologia 2021, Anny Mayumi Fujimoto participou da Infomatrix World Finals, nos dias 3 e 7 de junho, em Guadalajara, no México

A estudante de Química Anny Mayumi Fujimoto, 18 anos, embarcou no dia 1º de junho para o México, acompanhada do vice-coordenador geral da Mostra de Ciência e Tecnologia (Mostratec) da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, Luis Eduardo Selbach. Ela participou da maior feira de tecnologia do México, a Infomatrix World Finals, por ter sido a vencedora da edição de 2021 do Prêmio Killing de Tecnologia.

A Killing Tintas e Adesivos, de Novo Hamburgo (RS), é uma indústria química brasileira que opera como líder na América Latina em adesivos para calçados e está entre as dez maiores fabricantes de tintas do país. Desde 2013, presenteia o vencedor do seu prêmio, concedido à Mostratec, da Fundação Liberato, com uma viagem a uma das maiores feiras de Ciência e Tecnologia do mundo. Representando o Brasil, os vencedores participam de concurso científico nessas feiras com seus projetos selecionados por uma criteriosa banca avaliadora da Mostra. “Além de viabilizar a viagem e a participação deles nesses eventos científicos conceituados, os estudantes ampliam seu conhecimento, aprendendo sobre outras culturas e, principalmente, novas tecnologias. A Killing se sente orgulhosa de ver nossos conterrâneos se destacando no exterior e trazendo novidades para o Rio Grande do Sul, auxiliando no desenvolvimento regional em todas suas esferas”, afirma o gerente de Marketing da Killing, Guilherme Medaglia.

A Infomatrix World Finals ocorreu de 3 a 7 de junho, em Guadalajara, no México. O projeto apresentado pela jovem pesquisadora de Canoas (RS) é um estudo que investigou a ação de um antifúngico que poderá auxiliar no tratamento de doenças como a aspergilose (doença infecciosa pulmonar), que atingem pacientes com imunodeficiência, principalmente, nos pacientes hospitalizados e, em alguns casos, em pacientes portadores da Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS). A orientação do trabalho é da docente Maria Angélica Thiele Fracassi. Nessa edição da Informatrix, participam estudantes de 22 países.

De acordo com Selbach, a participação de Anny ocorre graças ao Prêmio Killing de Tecnologia, que viabiliza a participação desse projeto nesse importante evento científico voltado para jovens pesquisadores de diversas partes do mundo. “Nas primeiras sete edições do prêmio, os estudantes participaram da maior feira de Ciência e Tecnologia da China, a Castic. Com a pandemia, as edições de 2020 e 2021 foram canceladas. Em consenso com a empresa, optamos por viabilizar a logística dos próximos vencedores a feiras presenciais, definindo-a do México”, explica o vice-coordenador.

  Mais notícias